Leve-me ao seu líder!

segunda-feira, março 05, 2012

Já falei aqui sobre o impacto que a chegada de alienígenas teria na população do planeta. Independente de serem seres agressivos ou benevolentes, teríamos alguns problemas em nos comunicar com eles. Eles falam? Possuem a mesma estrutura vocálica dos humanos? E o principal de tudo: o que dizer a eles?






A famosa frase, tão popular no imaginário dos fãs de ficção científica, e que dá o título à postagem de hoje surgiu em 1953 num quadrinho da revista The New Yorker, feito por Alex Graham. Foi repetidamente usada em várias franquias de FC quando o assunto era o contato com alienígenas. Os indícios de que estamos aqui já foram mandados faz tempo e hoje estão a mais de 100 anos-luz de distância. Além das transmissões de rádio e TV, mandamos a sonda Voyager, com as informações necessárias para nos encontrar.

A questão é como falar pela raça humana em geral com os alienígenas. Assumindo que estarão aqui para conversar e não nos exterminar, em algum momento teremos que estabelecer comunicações. A questão do primeiro contato já apareceu diversas vezes, na literatura e no cinema. Posso citar Contato, de Carl Sagan como um dos melhores, pois se baseava na matemática, que é uma língua universal. Em O Fim da Infância, de Arthur C. Clarke, o contato é feio por um órgão mundial semelhante à ONU, onde os aliens não saem das naves e não se mostram e algo interessante é o fim das forças armadas, o que duplicou a riqueza no mundo e diminuiu a pobreza, a miséria e as doenças.

Falar por toda a raça humana é complicado. Somos tantos, tão diferentes, porém iguais em raça e gênero. Temos tantas línguas diferentes, tantas raças, etnias e religiões. Uns vão querer se comunicar, outros vão querer que eles vão embora. Qualquer tentativa de comunicação vai ser coberta pela imprensa que passará isso de uma maneira bastante diversificada à população. Analistas vão tentar formular uma maneira de se comunicar com eles e outros analistas criticarão as tentativas.

Ou seja, prevejo confusão, medo e paranoia quando o assunto é um primeiro contato. E o que eles diriam? Leve-me ao seu líder seria um clichê grande demais, lógico, mas como vamos saber se eles próprios estão representando toda a sua raça? E se eles forem dissidentes, procurados, terroristas, genocidas? Vale a tentativa de um contato com eles? Aposto que muitos tentarão. A questão tecnológica, científica e armamentista pesaria muito na decisão.

Nossas garrafas com mensagens estão vagando por aí. Mas é bastante arriscado mandar tantos indícios de nossa existência e localização. E se eles não forem assim tão bonzinhos? E você, o que acha de uma situação de primeiro contato? O que dizer aos aliens?

Até mais!


Leia mais:

The New Yorker - Messages do E.T.

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris