O que é a era do gelo?

quarta-feira, fevereiro 29, 2012

era do gelo
Eu vejo muita desinformação quando se fala em era do gelo. Além da trilogia muito fofinha de filmes de animação, era do gelo tem um significado bastante amplo. Pouca gente sabe o que é ou sabe definir. Então vamos falar um pouquinho sobre isso e tentar desmistificar o termo.



O que acontece numa era do gelo, que também é chamada de  idade do gelo, era glacial, período glacial? A temperatura da superfície e da atmosfera diminuem durante um longo período de tempo, enquanto mantos de gelo se estendem sobre as calotas polares e sobre os continentes. Alguns cientistas consideram que, do ponto de vista geo e glaciológico, ainda estamos numa era do gelo menos intensa, pois ainda existem camadas de gelo nos polos, mas isso é bastante controverso. Não podemos esquecer que o filme fala da última era glacial, mas durante o passado geológico da Terra existiram várias.

A era do gelo que o filme fala e que é mais comumente conhecida é do um período mais recente, onde o máximo foi há 20 mil anos, com extensos mantos de gelo sobre a Ásia, Europa e América do Norte. O motivo por esta ser mais conhecida é simples: ela deixou mais registros geológicos e o ser humano se desenvolveu quanto civilização bem no meio dela.

As evidências da era do gelo são divididas em três categorias:

Geológicas
Parque do Varvito, Itu, SP. 
As evidências geológicas são bastante visíveis para os olhos mais sensíveis e treinados. Rochas mostram marcas de abrasão, sinais de desgaste e arrasto. Existem os vales glaciares e os depósitos de sedimentos glaciais. Uma evidência bem brasileira de um período glacial encontra-se na cidade de Itu, no interior de São Paulo. O Parque do Varvito fica sobre a formação de varvito, uma rocha sedimentar formada em corpos d'água, como lagos glaciares, onde sedimentos se depositam no fundo. Este varvito, do Grupo Itararé (Bacia do Paraná) são um registro da glaciação que aconteceu entre o Carbonífero inferior e o Permiano inferior, entre 360 e 270 milhões de anos, quando o sul do antigo supercontinente Gondwana ficou coberto por espessas camadas de gelo.

Químicas
É possível saber sobre uma glaciação ou era do gelo através da variação nas proporções de isótopos em fósseis, sedimentos, rochas, testemunhos de sedimentos marinhos e testemunhos de gelo (para eras recentes). Um registro da temperatura do ambiente fica gravada pelo isótopos, pois água com isótopos mais pesados evapora mais rápido e a proporção diminui em condições mais frias. Não é tão precisa, precisa ser combinada com outras evidências, pois eventos externos podem alterar esta proporção.

Paleontológicas
Animais característicos do período, plantas, polens, todos são evidências paleontológicas em geral. A distribuição deles pelo globo durante uma era do gelo varia bastante, pois animais de ambientes quentes podem ser extintos ou empurrados para outras regiões geográficas.

Se formos pegar apenas o período recente da história do planeta, tivemos cinco grandes eventos de era do gelo desde 2 milhões de anos atrás, ocorrendo numa frequência de 40.000 a 100.000 anos:

  • Glaciação Donau - há cerca de 2 milhões de anos;
  • Glaciação Günz - há cerca de 700 mil anos;
  • Glaciação Mindel - há cerca de 500 mil anos;
  • Glaciação Riss - há cerca de 300 mil anos;
  • Glaciação Würm - há cerca de 150 mil anos.

Qual é a causa?
Ninguém tem bem certeza. Supõe-se que seja um conjunto de fatores para acionar o gatilho de uma era do gelo. Mudanças na intensidade da radiação solar seria um importante fator. A composição da atmosfera, com acréscimo ou decréscimo de certos fases, vulcanismo (adição de cinzas na atmosfera reduz a temperatura na superfície), mudanças na órbita terrestre (Ciclos de Milankovitch) e o movimento das placas tectônicas também são importantes.

Glaciar na Sibéria. Sem fonte.

Pelas datas acima você pode pensar: "Não deveríamos entrar numa nova era do gelo em breve?" De fato deveríamos, se seguirmos o ritmo das anteriores, pois elas mostram períodos de 100 mil anos quentes para 90 mil anos de era glacial. É possível que a ação do homem, combinada com mudanças ambientais esteja atrasando ou desregulando este mecanismo importante. O que pode acontecer é algo semelhante ao que houve no filme O Dia Depois de Amanhã, claro que não tão rápido como no filme: uma camada de gelo espessa se arrasta sobe o hemisfério norte, enquanto o hemisfério sul passa por um período de forte aquecimento. O motivo disso é que existe mais água no sul do que no norte, que tem mais área continental. E dá pra imaginar a situação caótica que uma civilização apresentaria com uma mudança tão severa. A polêmica continua sobre o futuro do planeta, mas a questão que fica é se vamos sobreviver a ela.

E você, ficou alguma dúvida? Pode perguntar. Até mais!

ATUALIZAÇÃO 1º de Março de 2012
Segundo informações de Marco Hundsdorfer:

"As mudanças de intensidade na radiação solar não afetam ou interferem nas eras glaciais pelo fato de que o "termostado" da terra (Livro: Sós nos universo - Hipótese da terra rara) cujo principal fator é a meteorização ácida (leia-se retirada de dióxido de carbono da atmosfera) a tectônica de placas e o albedo (quantidade de luz refletida pela terra) equlibram a radiação solar devido ao aumento ou diminuição de chuvas ácidas, o aumento ou diminuição da quantidade de nuvens e a formação de montanhas. A variação da orbita terrestre influenciaria em apenas 5% a quantidade de radiação total sobre a superfície (insuficiente para uma glaciação ou inter-glaciação). A causa primária das glaciações aparentemente é a meteorização e a precessão dos equinócios que alterariam a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera e as correntes marítimas, influenciando diretamente a temperatura, principalmente no hemisfério norte, devido a forte influência da corrente do golfo (águas quentes) sobre o norte dos EUA, Canada, Groenlândia e Europa."

Obrigada pela retificação.

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris