O Programa Africano de Pesquisas Espaciais

segunda-feira, agosto 29, 2011

É provável que alguém estranhe o nome. Quando se ouve falar de África, em geral, é sobre guerras, fome, doenças e pobreza, terrorismo. Não que isso não exista na África, sabemos que é um problema crônico em vários países do continente. Entretanto, estes problemas existem em muitos outros lugares do mundo e não podem servir para caracterizá-lo por completo. Recentemente este nome chamou a atenção, pois fala do sonho de um homem em mandar o primeiro Ugandense ao espaço.





Uganda no continente africano.
Para quem ainda não associou o nome ao país, Uganda fica no centro leste da África, cuja capital é Kampala. Situado próximo ao Vale do Rift africano, enfrenta problemas de ordem civil com a vizinha Ruanda e sofreu com o domínio britânico, bem como vários outros países do continente. Ele esteve na mídia há pouco tempo atrás, pois o Parlamento ugandense queria aprovar uma lei de morte para homossexuais. O país também enfrenta uma série de problemas com a LRA - Exército de Resistência do Senhor - que pretende governar Uganda de acordo com os Dez Mandamentos da Bíblia e rotineiramente sequestram crianças, onde os meninos são treinados para ser soldados e as meninas escravas sexuais.

O norte de Uganda está em uma situação pior que o Iraque, de acordo com o subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, Jan Egeland. No norte do país, onde o conflito é mais intenso, crianças fogem de casa e vão morar nas ruas das maiores cidades, onde se sentem mais seguras. O próprio Egeland disse:

Não consigo encontrar outra parte do mundo onde exista uma emergência do porte da que existe em Uganda, que esteja recebendo tão pouca atenção internacional. (Fonte: BBC Brasil).

Aeronave e a bandeira do país. Fonte: BBC

Devo dizer que me fiz a mesma pergunta. E você se pergunta, o que esse país com tantos problemas tem a ver com pesquisas espaciais? Em meio ao caos e à violência, um homem começou a construir no quintal de casa um foguete, com o intuito de levar o primeiro ugandense ao espaço.

Ele é Chris Nsamba, ex-fuzileiro naval norte-americano e estudante de astronomia. Resolveu criar o centro de pesquisas, conta com 600 voluntários que doam os recursos, estudantes de engenharia, não conta com nenhum financiamento do governo, mas acima de tudo, ele tem um sonho.

Voluntários lixam a aeronave. Fonte: BBC
Por estar no quintal da casa de Nsamba, não é possível ver aquele material esterilizado e sofisticado do estilo da Nasa em nenhum lugar, porém é possível ver o entusiasmo dos voluntários que se dispõem à lixar e pintar a fuselagem, que já conta com a bandeira de Uganda. Por enquanto, eles estão testando suas habilidades em construir uma aeronave capaz de levar um homem para a órbita terrestre para em seguida partir para uma espaçonave operacional para levar ao espaço. Por ainda não ter um motor, ele possui apenas uma pilha de tijolos para simular o peso e assim saber a envergadura.

Louco, você diria? Um absurdo se preocupar com exploração do espaço em um país que se afunda na guerra, na AIDS e na miséria? Muita gente ridicularizou o projeto de Nsamba. Ouvi gente dizendo que não imaginava existir engenheiros em Uganda (!) e que era um absurdo gastar dinheiro com um projeto que não vai sair do chão.

Acredito que disseram o mesmo a Santos Dumont pouco mais de 100 anos atrás. É justamente por existir tanto caos e violência que o sonho é necessário. É por isso que as pessoas sonham e criam, para sair da adversidade e manter a lucidez, manter uma meta, manter uma prioridade.

Quer um sonho?
Pode ser que realmente não saia do chão, pode ser que ele não chegue a montar sua espaçonave, mas ninguém pode tirar os sonhos de uma pessoa e achar que ela vai resistir em meio à vida cruel que nos cerca. Sonhar faz parte. Se o Programa Africano de Pesquisas Espaciais vai gerar frutos, eles com certeza serão orgulho, perseverança, união e aprendizado e essas são realizações que poucas pessoas conseguem, seja na guerra, seja na paz.

So slow we get smart; so quick we get old!

Página oficial do programa

Visite a página oficial do programa. Clique aqui.

Até mais!

Fontes:
BBC Brasil
Portal G1
Inhabitat
Visit Uganda



Os países africanos pretendem criar agência espacial

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris