Vilões: malígnos, marcantes e inesquecíveis

quarta-feira, abril 06, 2011

Eles são malígnos. São cruéis. Eles são maus e perversos, mas nós os adoramos. Se tem uma coisa que eu adoro num filme é quando tem um vilão marcante, aquele que cativa mais que o herói. Ele pode ser ruim de doer, mas rouba a cena, prende a audiência e a gente acaba gostando do malvado. Acho interessante como alguns atores ficam marcados pelos personagens, de tão bem que eles atuaram e como alguns vilões marcam gerações.

Pois bem. A Sybylla aqui andou vendo filmes demais e agora quer compartilhar vinte grandes vilões em sua humilde opinião. Se você tiver algum em especial, por favor, não se acanhe e deixe nos comentários sua bem vinda contribuição. Tenho certeza que você deve lembrar de vários!

Lembrando que esta é uma lista pessoal, são opiniões minhas e não uma listagem oficial da Academia de Arte Dramática. Se você não concorda com a lista, seja respeitoso ao fazer suas indicações ou nem comente no post.

Vamos lá:




20. Cruela De Vil - 101 e 102 Dálmatas, por Glenn Close
Quer pessoa mais malígna, vil e leviana do que uma mulher que quer fazer um casaco com a pele de inocentes cachorrinhos? Esta criatura bestial de garras assassinas tentou e felizmente não foi bem sucedida e mesmo tendo passado por tratamento, de nada adiantou para afastar seu instinto malvado, pois ela voltou a perseguir os inocentes filhotes.


19. Meredith Johnson - Assédio Sexual, por Demi Moore
O filme deixa implícito que o assédio vai acontecer e sempre pensamos que a assediada será a mulher. Neste caso, Michael Douglas passa um aperto danado com uma mulher dissimulada, fria, falsa, mentirosa e sexy, que quase o coloca no chinelo numa cilada empresarial que falha no final. Meredith tentou usar o sexo para derrubá-lo e ele resistiu bravamente.


18. Pheyton Flanders - A Mão que Balança o Berço, por Rebecca De Mornay
Lembro que a primeira vez que vi este filme fiquei abismada com a capacidade de dissimulação da mulher que vai trabalhar de babá na casa da pessoa que, em sua loucura, destruiu sua vida e matou seu filho. Ela consegue colocar as pessoas em situações perigosas, constrangedoras, tudo com um inocente olhar que faz quase todo mundo cair em sua lábia. Perigosíssima.


17. Alfred Bester - Babylon 5, por Walter Koening
O ator é lembrado pelo bonzinho senhor Chekov, de Jornada nas Estrelas, a série clássica. Mas em Babylon 5 ele faz um telepata muito perigoso e dissimulado, disposto a tudo para alcançar seus objetivos. Por sua capacidade de ler mentes, ele é um risco constante à segurança de todos à sua volta, inclusive para aqueles que são seus inimigos. Podendo ler suas mentes, não é qualquer um se torna o inimigo público número um da sociedade.


16. Desconhecido - Seven: Os Se7e Crimes Capitais, por Kevin Spacey
Durante todo o filme vemos seu rastro de sangue e maldade e sequer conhecemos seu rosto ou seu nome. Punindo as pessoas por seus exageros cometidos, ele surpreende o público e dispara os mais inflamados sentimentos nos detetives responsáveis pelo caso, inclusive, transformando o personagem de Brad Pitt num assassino também. Mau, mau, mau.


15. Hatsumomo - Memórias de uma Gueixa, por Gong Li
Especialista em artes, dança, canto e em fazer a vida de Sayuri um inferno. Esta criatura mundana vivia presa ao universo das gueixas e suas rígidas regras e disparou sua leviandade em todos ao seu redor. Seu sorriso dissimulado encantador disparava impropérios e gritos quando podia, não aceitando que os outros brilhassem e a ofuscassem. Cruel demais.


14. Alex Forrest - Atração Fatal, por Glenn Close
A amante mais vingativa do mundo tornou a vida de Michael Douglas um inferno. Ao se envolver com uma psicopata, ele quase condenou a família inteira. Louca, insana, ela sai em busca do homem que a abandonou e o matará se preciso for. A cena da banheira, com aqueles olhos abertos e a última bolha de ar subindo atormentaram gerações de amantes.


13. Keyser Soze - Os Suspeitos, por Kevin Spacey
Um dos vilões mais sórdidos que existem, Keyser Soze é uma sombra misteriosa do mundo do crime, que atormenta até os vilões mais velhos da casa. Um mito foi construido sobre ele e a bandidagem que pisa na bola morre logo e misteriosamente. O interessante é que quando finalmente conhecemos sua face, já não temos mais certeza se a história toda é verdadeira. Um primor de estratégia do mal.


12. Lord Voldemort - Harry Potter Saga, por Ralph Fiennes
Aqueles que leram ou viram os filmes e cresceram com Harry, acompanhando seu calvário, sabem que Voldemort é a pura personificação da maldade, um ser desprovido de corpo, habitando os outros e até animais. Por onde passa, este ser deixa mortos aos montes e espalha terror com sua legião do mal. Vítima do poder, apenas quer ver o mundo em chamas junto de seus associados. Primeira categoria na leviandade.


11. Drácula - Drácula, de Bram Stoker, por Gary Oldman
Não me conformo até hoje do porque de Gary Oldman não ter sido sequer indicado ao Oscar por sua atuação como Drácula. Um homem atormentado pela perda de seu amor se torna o mal em pessoa e espírito, sedento de sangue em busca de vingança contra Deus e contra aqueles que o impedem chegar a sua amada reencarnada. Louco pelo amor que perdeu, ele se mostra um espectro atormentado, sozinho e capaz de maldades mil com muito charme. Sen-sa-cio-nal.


10. Cáprica Seis - Battlestar Galactica, por Tricia Helfer
Se os Cylons já são seres cibernéticos desprovidos de humanidade ou misericórida, Cáprica Seis abusa. Responsável pelo quase completo extermínio da raça humana, ela seduz, mata, finge, dissimula, ama, atormenta... Não dá para explicar a quantidade de coisas ruins que esse robô psicótico em corpo de mulher fez. E o pior, existem várias cópias dela. Ela não morre nunca!


9. Imperador Cômodo - Gladiador, por Joaquin Phoenix
Este imperador realmente existiu e realmente lutava no Coliseu, mas se ele foi tão cruel quanto aquele interpretado por Phoenix, os funcionários do império o temiam constantemente. Capaz de matar o próprio pai para ser imperador, ele não mede esforços para tirar os obstáculos do caminho, mesmo que tenha que trapacear. Deseja sexualmente a irmã, esfaqueia o Maximus para vencer a luta, seu grau de maldade é um dos mais altos.


8. Alien - Alien movies, por HR Giger
A mais vil criatura do espaço se desenvolve dentro de um hospedeiro humano, tem sangue ácido e é um predador de primeira categoria. Parece invencível, indestrutível e absolutamente carismático. Todos querem caçá-lo, até os Predadores. Quem cruza seu caminho acaba morto, cheio de baba ou um híbrido. Ninguém sabe de onde eles vieram, nem como surgiram, sabem apenas que ele deve ser impedido a qualquer custo. Bichinho mau.


7. Katherine Trammel - Instinto Selvagem, por Sharon Stone
A cruzada de pernas mais fatal do cinema, feita por uma das mulheres mais perigosas e sádicas que já se teve notícia. Uma dissimulada, falsa, perversa, moralmente ambígua, um sucesso inquestionável entre os psicopatas, ela deixa os homens loucos ou mortos quando passa por algum lugar. Consegue fazer os outros levarem a culpa por seus crimes enquanto assiste tudo de camarote como se fosse a vítima. Ser doentio...


6. T1000 - Exterminador do Futuro 2, por Robert Patrick
Um assassino persistente e praticamente indestrutível, a máquina de matar que quase apaga John Connor da existência. Lembro que ao assistir pela primeira vez eu não desgrudava os olhos da tela ao vê-lo passar. Ele não pisca, não descansa, não para enquanto seu alvo não estiver abatido. E o pior, ainda pode assumir a forma que quiser e se transformar em objetos cortantes e afiados. Ruim ao máximo.

5. Hans Gruber - Duro de Matar, por Alan Rickman
O adorável alemão de terno, com olhos azuis, pode ser um carcamano louco e possessivo que tem seu caminho atropelado pelo personagem de Bruce Willis. Tanto é que vão buscar vingança em seu nome no terceiro filme da franquia, tamanha era sua popularidade. Ficamos tensos ao vê-lo se aproximar da esposa do herói, sempre tentando prever seu próximo passo.


4. Le Chiffre - 007 Cassino Royale, por Mads Mikkelsen
A-do-ro este ator. James Bond teve inimigos notáveis em tantos filmes de sucesso, mas LeChiffre é o notável dos notáveis. Um frio matemático e estrategista, capaz de jogar com a vida dos outros como se joga poker. O cara que os terroristas procuram quando precisam de dinheiro. O olhar frio imobiliza quem o encara como se fosse a própria Medusa. Ele parte para a violência desmedida apenas quando não tem mais opções ocultas na manga dos impecáveis ternos pretos que usava. Charme e leviandade inquestionáveis.


3. Coringa - Batman, O Cavaleiro das Trevas, por Heath Ledger
Jack Nicholson que me perdoe, mas acho que nunca houve na história do Batman um Coringa tão maluco, perverso, insano e doente como este. Ele apaga o herói quando está em cena, sempre com histórias diversas no seu terno cor de beringela, sem nunca deixar claro qual a sua intenção ou próximo passo. Ao mesmo tempo engraçado e impulsivo, ele é o agente do caos. Um perfeito ser maligno.


2. Darth Vader - Star Wars, por David Prowse, Hayden Christensen e Jake Lloyd
A respiração pesada por trás da máscara negra perseguiu as mentes de muitos jovens que acompanharam o nascimento de uma das sagas mais bem sucedidas da história do cinema. O fato de não sabermos como ele realmente era por baixo daquela armadura negra alimentava pesadelos e suposições. Um grau de maldade que estouraria o medidor se fosse possível, ele foi uma criança adorável, que amava a mãe, mas que por joguete de outro ser mau e calculista se tornou o maior símbolo da ruindade do cinema. Nada parece poder destruí-lo. Alto teor de doses malignas suficiente para destruir mundos inteiros.

1. Hannibal Lecter - Silêncio dos Inocentes, por Anthony Hopkins
Índice de maldade atingindo o máximo. Não fiquem em seu caminho ou serão os convidados para o jantar... ou serão o próprio jantar. Não dá para contar a quantidade de maldades que este ser leviano disparou em todos os filmes e livros. O ato de máxima selvageria - o canibalismo - sendo cometido com elegância, estratégia, charme, tudo isso acompanhado por "um belo vinho". Se todos os vilões fossem como ele, a raça humana estaria fadada à extinção. Insuperável.

Se tiver mais algum para indicar, seja civilizado e indique nos comentários. Leia as regras antes.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris