20 mulheres fortes do cinema e da TV

domingo, março 13, 2011

As rosas e vasinhos de flores que recebemos no mercado no dia 8 de março deve ser para lembrar os milhões de mulheres que morrem todos os anos simplesmente pelo fato de serem mulheres. Este post visa apresentar algumas mulheres fortes no cinema que, de uma maneira ou de outra, se destacam. E não apenas da ficção científica. São personagens fortes e marcantes, aqueles que fazem a diferença numa estória e na história. Aqui estão algumas, por gosto pessoal, mas se você quiser indicar mais uma, por favor, não se acanhe e deixe nos comentários a menção honrosa. Então, vamos lá.




Leia também:


20. Hatsumomo - Memórias de uma Gueixa (2005)
HatsumomoPor Gong Li - Ela é a gueixa rival de Sayuri no livro e no filme, mas ela rouba a cena todo o tempo por ser malígna, vil, leviana e ainda assim caristmática, que atrai a cena para si. É aquela que quer puxar o tapete do primeiro que estiver pela frente mesmo que isso não a beneficie, apenas para destruir o outro. Mas Hatsumomo é sozinha, presa pelas obrigações de gueixa, impedida de amar e invejosa, vendo que os outros conseguiram o que ela não alcançou.


19. Vesper Lynd - Cassino Royale (2005)
Por Eva Green - James Bond é conhecido por ser um garanhão irresistível. Mulheres são notórias em todos os seus filmes, fortes, fracas, assassinas ou apenas um rostinho bonito, mas Vesper Lynd coloca o herói no chão, o usa, o engana, se apaixona por ele e o salva, numa sucessão incrível de comportamentos provocantes e inteligentes. Seu jeito de agir com Bond leva a crer que ela não o suporta, quando na verdade, ela se divide entre sentimentos contraditórios de amor e ódio. Nada que toda mulher nunca tenha sentido.


18. Trinity - Matrix (1999-2003)
Por Carrie-Anne Moss - A fé no escolhido e de que um mundo melhor é possível sempre motivaram Trinity na constante luta contra as máquinas e contra a Matrix. Assim como seu amor, Neo, ela também teve sua mente libertada pelos revolucionários em Zion e encarou um mundo frio, destruído, encontrando em Neo a paz e a missão que sempre lhe foram reservadas. Trinity era movida não só pelo amor, mas também pela determinação em derrubar a Matrix.


17. Mulher Gato - Batman, O Retorno (1992)
Por Michelle Pfeiffer - Moralmente ambígua, divertida, inteligente, transtornada e solitária, esta Mulher Gato faz uma perfeita transição entre mulher normal, com seus sonhos, ambições e desejos, oprimida pela sociedade e pelo trabalho, e a sedutora e fatal mulher que busca vingança pelas injustiças cometidas. Parece não ter medo de nada como gata, mas teme absolutamente tudo sem a roupa colante preta e seu chicote. Não sabemos se é a gata que usa máscara ou se é Celina quem a usa.


16. Gilda - Gilda (1946)
Por Rita Hayworth - Ousado e provocante até para os padrões de hoje, Gilda provocou furor quando foi lançado nos anos 40. Paixão, traição, romance. Nunca houve uma mulher como Gilda, já diziam os cartazes quando foi lançado, pois era uma mulher que não se dobrava aos desejos dos homens, ao contrário, eles se quebravam, se destruíam por ela. Era uma mulher de atitude e que mandava na própria vida numa época em que mulheres sequer votavam ou tinham direito ao divórcio em muitos países.


15. Miss Celie - A Cor Púrpura (1985)
Por Whoppi Goldberg - A história sofrida de Celie, que é separada da irmã, violentada pelo padrasto e pelo marido, impossibilitada de criar os próprios filhos mostra como a vida das mulheres é difícil, com desencontros, desilusões, tristezas que somente as mulheres podem carregar. Apesar de tão sofrida, ela manteve firme a esperança de rever a irmã e os filhos e foi a rocha unificadora de uma família degradada e aos pedaços. Infelizmente, por mais que o filme se passe no início do século XX muitas mulheres ainda vivem condições iguais nos dias atuais.


14. Scarlett O'Hara - E o Vento Levou... (1939)
Por Vivien Leigh - A maior patricinha da história do cinema, Scarlett mostra toda a força de uma mulher que precisa viver num mundo idílico que é despedaçado pela guerra civil que quase destruiu os Estados Unidos. Ela passa fome, perde os pais, não consegue ter o amor de sua vida de volta, se casou três vezes, nenhuma delas por amor e sofre a perda da filha e do marido que moveria o mundo se pudesse. Contraditória e apaixonante, Scarlett é o retrato de um mundo que parecia ser inabalável.


13. Rachel - Blade Runner (1982)
 Rachel - Blade Runner
Por Sean Young - A enigmática mulher que sacode as fundações do caçador de androides Deckard tem um ar implacável e insensível. Rachael tem as memórias de uma sobrinha de Tyrell, presidente da mega corporação que fabrica androides, e apoiada nestas memórias não consegue acreditar que é uma replicante. Deckard por sua vez se sente atraído por ela e descobre que Rachel é sensível, delicada e triste, perdida numa existência que ela não aceita. Uma das mais fortes da ficção científica.


12. Princesa Leia - Star Wars IV, V e VI (1977 - 1983)
Por Carrie Fisher - O sonho de consumo de todo jovem da geração dos anos 70, a delicada princesa de Star Wars IV se torna uma mulher sedutora e forte, que luta por seus direitos e pela liberdade da galáxia. Seu pai é ninguém menos que Darth Vader, e portanto, não é somente um corpinho num biquini de metal. Ela foi uma das primeiras personagens femininas da ficção científica que partiu para a luta ao invés de depender dos personagens masculinos. Hans Solo sabe bem disso.


11. Katniss Everdeen - Jogos Vorazes (2012)
Katniss Everdeen
Por Jennifer Lawrence - Órfã de pai e com a mãe e a irmã para sustentar, Katniss não vê opção além de ir para as florestas proibidas pela Capital para caçar e assim trazer comida e dinheiro para casa. Determinada e muito forte, tudo muda numa manhã quando o nome de sua irmã Prim é escolhido para competir nos Jogos Vorazes, que ocorre anualmente, como uma lembrança da força opressora do governo. Sabendo que Prim não tem chances de sobreviver, Katniss se voluntaria para ser tributo e, junto de Peeta, também de seu distrito, eles vão para a Capital para competir e matar outros tributos.


10. Sarah Connor - O Exterminador do Futuro I e II (1984, 1991)
Por Linda Hamilton - É interessante como uma moça garçonete, de vida simples, que se achava fraca e indefesa se transforma numa máquina vingativa, atormentada pelo futuro que não chega a conhecer. Ela abandona aquela visão frágil e desolada do primeiro filme, onde fica sabendo sobre sua missão num futuro apocalíptico e surta. Perde a razão, se torna imprevisível pois não conseguia lidar com os fatos que estavam fora do seu alcance. Fora a transformação física que a atriz mostra entre o primeiro e o segundo filme, o que dá mais força à essa transição que a Sarah sofre quando resolve assumir seu papel de mãe do líder.


09. Lisbeth Salander - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (2012)
Lisbeth Salander
Por Rooney Mara - Lisbeth não é uma mulher comum. Uma exímia cracker, que rouba senhas pelo mundo virtual, sua vida pessoal é recheada de mistérios e de problemas com a justiça, o que a fez ser tutorada pelo estado até a idade adulta. Vítima de violência sexual e tendo um histórico tempestuoso com seu pai, ela se torna uma exímia investigadora e consegue acesso a segredos, relações, documentos, contas bancárias, desvendando segredos e expondo casos criminosos. Ela se une a Mikael Blomkvist, um jornalista renomado, em várias ocasiões, na tentativa de desenrolar estes mistérios.


08. Coronel Samantha Carter - Stargate SG-1 (1997-2007)
Por Amanda Tapping - Poucas mulheres na ficção científica aguentaram tanta coisa quanto a coronel Sam Carter. A cientista e soldado da equipe SG-1 viajou milhares de anos-luz pelo Stargate, encontrando civilizações, armas, alienígenas, lutou contra o inimigo, chegou a ser hospedeira, foi copiada pelos Replicadores, tudo em nome do sonho de poder viajar pelo espaço e ver outros mundos. Uma mulher de força, caráter e senso de dever, além de ser uma cientista multiversada.


7. Carrie Mathison - Homeland (2010-2012)
Por Claire Daines - A agente da CIA, obcecada por seu trabalho, uma mulher que confia em seus instintos, cuja genialidade só é comparada com seu distúrbio bipolar. Ela consegue enxergar padrões onde ninguém mais vê e consegue suspeitar daqueles que estão acima de qualquer suspeita. Ao contrário de muitos personagens, ela deixa suas emoções sempre bem claras para as pessoas, o que faz dela uma das mulheres mais fortes atualmente na TV.


6. M - James Bond (1995–2012)
Por Judi Dench - A chefe de ninguém menos que James Bond não podia ficar de fora dessa lista. O criador de Bond, Ian Fleming, afirmou que baseou muitos dos aspectos de M no contra-almirante John Henry Godfrey, antigo diretor da Inteligência Naval da Marinha Real Britânica, e seu superior durante a II Guerra Mundial. M é durona, não hesita em missões perigosas e quando foi preciso, encarou o perigo de frente.


5. Olívia Benson - Lei e Ordem: Unidade de Vítimas Especiais (1999 - atual)
Por Mariska Hargitay - A dedicada detetive da unidade que lida com crimes sexuais da polícia de Nova York não vê problema em se envolver em seus casos e de sentir a dor das vítimas. Incansável, ela própria é fruto do estupro que sua mãe sofreu e se dispõe a tudo para encontrar os culpas pelos crimes sexuais cometidos na Big Apple. Além de determinada, ela firme com os vagabundos, fiel amiga de seu parceiro, Elliot Stabler, mas ainda assim sensível com as vítimas e com as pessoas.


4. Dana Scully - Arquivo X
Scully
Por Gillian Anderson - Uma das mulheres mais fortes de toda a ficção científica. Dana é médica de formação, tendo sido recrutada para o FBI ainda na faculdade. Deu aulas na academia em Quantico, mas foi ao lado de Fox Mulder que ela viveu a maior das aventuras, buscando desvendar casos misteriosos, tentando desmascarar o governo, sofrendo perdas imensas, tendo sido vítima de abdução e tentativas sucessivas de assassinato. Mesmo perdendo a fé algumas vezes, Scully ficou firme ao lado de Mulder. Lindíssima.


3. Nyota Uhura - Jornada nas Estrelas (série clássica e filmes I a VII)
Por Nichelle Nichols - Negra e mulher como um dos personagens principais de uma série de televisão, Uhura transcendeu as gerações e se firmou como uma das mais poderosas mulheres na televisão. Como se não bastasse, ela também sobe na hierarquia da Frota estelar e chega ao posto de comandante. Seus talentos são reconhecidos: Uhura é trilíngue, especialista em comunicações, vaidosa e inteligente. Muitas meninas que cresceram vendo a série ou os filmes se inspiraram na força de Uhura e seguiram carreiras científicas. Um exemplo bem sucedido, ainda mais nos anos 60.


2. Starbuck (Kara Thrace) - Battlestar Galactica (TV Series)
Por Katee Sackhoff - uma das mulheres mais fortes da ficção científica, a piloto de Viper é também uma das mais contraditórias. Beberrona, farrista, que não respeita ordens ou hierarquia, se envolve em brigas o tempo todo, bate em oficiais superiores. Ela foge dos padrões de personagens femininos, na maioria das vezes estereotipados e vulgares. Kara praticamente não tem vaidades, não quer ter filhos, sua vida é o cockpit das naves e a bebida, além do sexo casual.


1. Ellen Ripley - Alien (Quadrilogia 1979 - 1997)
Por Sigourney Weaver - A maior heroína dos filmes de ficção científica, aquela que botou para correr da Sulaco a rainha alien. É quase um consenso entre os fãs do gênero que Ripley é a maior de todas. Seus problemas são vários. Lidar com o trabalho enquanto tem filho em casa, ter que provar ser competente para os colegas e superiores, reconhecer situações de perigo e achar os momentos certos para interferir quando percebe que tem algo errado. Poucas são as mulheres que teriam coragem de dar a própria vida por uma causa. Insuperável.


Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris