Meteorito da discórdia

terça-feira, março 15, 2011

Eu vi essa notícia pelo Twitter do Estadão e venho acompanhando os fatos desde então. O cientista da NASA Richard B. Hoober alegou ter descoberto um fóssil alienígena dentro de um meteorito. O cientista é um astrobiólogo conceituado, estudioso de formas de vida microscópicas, portanto, não é um leigo falando de algo que não compreenda.

Ele alega ter encontrado um tipo de bactéria alienígena dentro de meteoritos do tipo condritos carbonáceos, um dos mais raros tipos que caem na Terra. De acordo com o próprio cientista:

"Eu interpreto isso como um indício de que a vida está distribuída de maneira mais ampla do que se estivesse apenas restrita ao planeta terra", disse o Dr.
Richard B. Hoober



O próprio Hoober admite que apesar das similaridades com bactérias já conhecidas, estas novas apresentam uma configuração que ele nunca viu. Sua área de estudo é bastante nova, portanto, existem coisas que nunca foram estudadas e coisas das quais nada se sabe.

O que realmente me surpreendeu na matéria não foi a descoberta (ou não) em si, mas os comentários feitos por usuários na página da notícia do Estadão. Alguns deles parecem saídos da Idade Média, da Inquisição, onde quem abrisse a boca para contradizer a ordem estabelecida era um herege. Vamos ver alguns destes comentários (clique nelas para ler melhor).


Pelo nível dos comentários dá para perceber como uma simples bactéria controversa em um meteorito inflama certos sentimentos. Ódio, esperança, religião, aversão ao tema, agressão, incredulidade, total ignorância do trabalho científico.

Mas por que isso? Do que as pessoas têm medo? Que essas bactérias se transformem em um monstro alienígena conquistador e destrua a Terra ou que a descoberta de vida fora do nosso planeta destrua suas convicções de que a vida só se desenvolveu aqui? Já falei sobre questões assim em outros posts (Vida X Vida que conhecemos). O antropocentrismo tem provas de que a vida surgiu na Terra, mas não de que ela exista fora dela. E para alguns é até um pensamento herético, capazes de condená-los ao inferno. Eu achei que após a Revolução Francesa, Igreja e Estado estavam separados.

E não é apenas fora da comunidade científica que as críticas apareceram. Vários especialistas no mundo contestaram o anúncio e o trabalho, alegando que ele é independente e superficial. Nos comentários lá em cima é possível perceber que algumas pessoas questionaram por que a descoberta não estava estampada nas primeiras páginas dos jornais. Se estivesse, faria diferença? Os comentários ácidos de lá de cima mudariam de tom? Acho que não. Acho que apenas aumentariam.

Não é a primeira vez que descobertas como esta são divulgadas  (e refutadas) e muitos ficam decepcionados, pois queriam ver ETs como se fosse o primeiro episódio de V. Temos que pensar que mesmo que a única vida lá fora sejam algas e bactérias, isso já será um sinal que não somos os únicos aqui no nosso cantinho isolado da galáxia.

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

ANTES DE COMENTAR:

Comentários anônimos, incompreensíveis ou com ofensas serão excluídos.
O mesmo vale para comentários:
- ofensivos e com ameaças;
- preconceituosos;
- misóginos;
- homo/lesbo/bi/transfóbicos;
- com palavrões e palavras de baixo calão;
- reaças.
A área de comentários não é a casa da mãe Joana, então tenha respeito, especialmente se for discordar do coleguinha. A autora não se responsabiliza por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem necessariamente as da autoria do blog.

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris