Ciência duvidosa do mundo SciFi

sexta-feira, fevereiro 25, 2011

Quando o assunto é ficção científica, presume-se que eles sejam baseados na ciência. Tudo seria lindo, talvez até um pouco chato, se a nossa ciência ainda um pouco limitada também limitasse a imaginação dos roteiristas. Por isso os filmes divertem tanto. Educam pouco. E deseducam muito. Dessa forma, preparei uma listinha de alguns filmes que pecam neste assunto. Foram dez os escolhidos.


Vale lembrar que esta é uma lista pessoal, são opiniões minhas. Mesmo que eu goste e assista a muitos dos filmes abaixo, eu gostaria que eles fossem mais fiéis à ciência. Para aqueles que acham que ficção científica não precisa de ciência sugiro então que assistam aos filmes no estilo O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Nárnia ou A História Sem Fim, que são baseados em excelentes livros de ficção fantástica e que não precisam de ciência para ter um enredo. Vamos lá:





1. Avatar (2009)
Motivo: é interessante o modo como a ganância humana levou a exploração de minérios tão longe. Realmente, podem existir ligas metálicas e outros tipos de minério que aqui na Terra não existem e que comercialmente valeria a pena buscar. Interessante também, mas bem questionável, o modo como eles misturaram DNA humano com DNA Na'vi. O filme não tem surpresas, é um tema muito explorado e até cansativo no cinema. Mas o mais bizarro para mim, que gosto e estudo as geociências, foram aquelas montanhas flutuantes. Nenhuma alteração gravitacional seria capaz de fazer blocos da crosta flutuarem daquele jeito. E mesmo que flutuassem, as árvores, a grama, a água as cachoeiras deveriam flutuar também. Anularam Newton, e feio.


2. O Dia Depois de Amanhã (2004)
Motivo: o filme toca em um ponto delicado: mudanças climáticas. Existem aqueles que culpam a emissão de carbono na atmosfera, e acusam a civilização como a causadora. Para o que ainda possuem dúvidas, recomendo ler o livro Aquecimento Glogal?, de Shigenori Maruyama, traduzido pelo geólogo brasileiro Kenitiro Suguio. A questão se está ou não mudando ainda deve ser muito debatida e o filme mostra o colapso da civilização de uma maneira bem convincente quando as correntes marítimas que distribuem o calor pelo globo param... Não fosse o fato que as mudanças acontecem em questão de dias, e não de milênios, como acontece de fato com o planeta. Sem comentários.


3. Epidemia (1995)
Motivo: os atores do filme (Dustin Hoffman, Rene Russo, Morgan Freeman e Kevin Spacey) estão na minha lista de prediletos. O filme é interessante. Fala de uma doença mortal, semelhante ao Ebola, vinda da África e que contamina a população de uma pequena cidade norte-americana. A corrida é contra o tempo para achar uma vacina antes que mate todo mundo. Só que a produção de vacinas é algo que leva anos, até décadas e existem doenças que não possuem uma que seja efetiva, como gripe e HIV. Mas no filme, eles conseguiram a proeza de produzir uma vacina para a nova linhagem do vírus baseado numa vacina anterior  em questão de horas... Ah se a medicina fosse assim rápida.


4. Sinais (2002)
Motivo: O diretor M. Night Shyamalan é um mestre em surpreender a plateia. Sabe fazer um terror sem mostrar muito. Era o que eu esperava quando vi Sinais no cinema, na época do lancamento. Alienígenas estão na Terra e tudo o que se capta deles são os sinais nas plantações e transmissões de rádio que ninguém entende. O filme dá medinho pelo o que não mostra inicialmente. Mas todo o clima é levado para a lona quando ocorre algo no final. Água de vários copos espalhados pela casa caem na pele do ET e queimam o infeliz como se fosse um ácido... Certo, espera um instante. Se o propósito deles era nos usar como alimento, como eles usariam nosso corpo que é 70% água? Para que vir a um planeta que tem 75% da sua superfície coberta por água? E que tipo de solvente universal os corpos deles possuem para a água agir como ácido? O único lugar seguro para eles seria onde a umidade relativa do ar fosse inexistente... São tantos os problemas que o filme fica engraçado quando você pára para pensar.


5. A Bolha Assassina (1988)
Motivo: acho que quem já assistiu esse pastelão gelatinoso não precisa pensar muito para perceber que tem algo muito errado. Uma coisa gosmeta e unicelular mata as pessoas por fagocitose e morre quando exposta ao frio extremo. Mas se ela chegou ao planeta dentro de um meteoro, como foi que sobreviveu a ele e suas baixíssimas temperaturas? Além do mais, um organismo unicelular não teria condições de se autosustentar devido à complexidade que o tamanho lhe daria. E se tivesse pensamento, não seria unicelular. Ou seja, sem pé nem cabeça, completamente.


6. Supernova (2000)
Motivo: existem tantos clichês no filme e cópias de modelos bem sucedidos que fica difícil achar qualquer ponto positivo nele. Começa quando uma nave de busca encontra uma nave médica em algum lugar distante da galáxia, onde há relatos de grande terror, mostrando que a tripulação está em perigo. Nisso, um tripulante é resgatado, sendo que traz um artefato alienígena que tem um estranho efeito nas pessoas, sem contar o fato que ele quer matar todo mundo e transar com a mocinha, não exatamente nesta ordem. Para piorar ainda mais, a estrela do sistema está para entrar em supernova, e quando ela explodir, vai matar todo mundo. Bom, onde está a ciência duvidosa? Ninguém explica o que é esse artefato alien e porque vale a pena matar todo mundo de forma sádica para protegê-lo.


7. Missão ao Centro da Terra (2003)
Motivo: o mesmo problema de Avatar quando ignora a geologia completamente. Por alguma razão, o núcleo da Terra parou de girar e o campo magnético da Terra dá sinais de colapso. Eventos improváveis acontecem ao redor do planeta e a única maneira de evitar o fim terrível que os espera é detonar uma bomba nuclear lá embaixo para reativá-lo... Mesmo que a ficção científica extrapole os limites da ciência atual, existe um limite aceitável de viagem na maionese que o público de fato aceita. O elenco conta com a ganhadora do Oscar Hilary Swank e com Aaron Eckhart, excelente em Batman Returns. Mesmo que tal coisa fosse possível (o núcleo parar de girar) como que eles enviariam qualquer coisa para o centro do planeta que tem mais de 5 mil km de espessura, da crosta até o núcleo interno, com pressão e temperatura próximas à da cronosfera do Sol? O único material ultraresistente para aguentar tudo isso é o diamante, o que elevaria o custo da missão a patamares proibitivos se fosse realizada de verdade. São tantos problemas que o filme foi um fracasso completo de bilheteria.


8. 2012 (2010)
Motivo: já falei desde filme em outro post como o pior da ficção científica de todos os tempos. Ele volta aqui com menção honrosa pela terrível maneira de destruir um planeta entre tantas já imaginadas e bem melhor explicadas. Em 2012, próximo à data fatídica do calendário maia, partículas de neutrinos, trazidas à Terra pelos raios solares, cozinham o núcleo do planeta. Isso causa uma série de desastres, muda o campo geomagnético e muda a posição das placas tectônicas. As ondas solares podem causar interferências em transmissões de rádio, mas os neutrinos são partículas neutras incapazes de interagir com susbtâncias físicas. Então como teriam capacidade de transformar completamente o planeta Terra se são neutras?


9. Minority Report (2002)
Motivo: acho a temática interessante, apesar de ser um filme pra lá de comercial. E tem clichês, como Tom Cruise pulando de um carro a quilômetros por hora. No filme, os homicídios são inexistentes. Os crimes são antecipados por paranormais e a pessoa é presa antes de cometer o delito. Mas se a paranormalidade ainda é considerada por muitos como apenas uma enganação, não é 2054 que ela vai prevenir o crime. Ninguém explica como isso é feito e ainda conseguem enganar o sistema, quando colocam a culpa no personagem de Cruise de um crime que não cometeu. Além do mais, como culpar alguém por algo que ela ainda não fez? Se podem prever o crime, não é mais fácil impedi-lo do que prender a pessoa?


10. Indiana Jones e a Última Cruzada (1989)
Motivo: sou fã de carteirinha do Indiana Jones desde que me entendo por gente, assisti a todos os filmes, tenho os DVDs e paro para assistir se estiver em qualquer canal. Sou defensora do último filme, mesmo que parece um absurdo ter o Jones meio velho nas telas É o meu herói favorito do cinema e não vai existir outro. Mas tem algo nA Última Cruzada que sempre me incomodou. Quando Jones entra na catacumba cheia de petróleo, ele acende uma tocha para iluminar o caminho. Pedaços do tecido em chamas caem no óleo e nada acontece. Mas os caras lá na entrada do túnel jogam um fósforo acesso no líquido, que pega fogo brutalmente e só não mata os heróis porque eles se esconderam sob um sarcófago... Mas então, o petróleo é inflamável ou não?


Menção honrosa
Independe Day (1996)
Motivo: O que salva o filme são os efeitos especiais e a atuação de Will Smith no deserto arrastando o alienígena. O erro crasso é quando o personagem de Jeff Goldblum inventa uma maneira de derrubar o escudo das naves dos visitantes através do seu notebook enviando um vírus de computador. Isso dá uma pane nos sistemas dos ETs e eles podem assim atacar e destruir os invasores. Mas espera um instante: o DOS foi patenteado além da órbita terrestre? Acho que não. Então como os alienígenas possuem um sistema tão vulnerável assim?


Honoris causa
Apollo 13 (1995)
Motivo: cientificamente correto. Sem ofender a ninguém. E com ótimos atores e ótimas atuações.

E você, tem algum para adicionar à lista?

Até mais!

Sybylla

Fã do futuro e da ficção científica. Geógrafa, professora, blogueira, escritora de FC. Capitã da Frota Estelar. Esperando para voltar para o meu planeta. Leia mais.





Leia esses também...

0 comentários

Viajantes

Curta no Facebook

❤️


"A ficção científica é um substituto para todos os lugares que eu nunca vou alcançar nessa vida."

James W. Harris